Meu amor

Queria tanto conseguir traduzir em palavras tudo que se passa na minha cabeça, ia dar alguma coisa boa, no mínimo, interessante. Mas hoje tudo que consigo pensar é em amor, e como traduzir amor em palavras?

Amor é o remédio pra tudo! Queria poder abraçar o mundo num abraço só… queria que pelo menos retribuíssem meus sorrisos, ou parassem com essa nóia de que a vida é uma eterna competição.

Outro dia li um texto que não sai da minha cabeça… A moça dizia que o amor tem que ser totalmente recíproco, só ia dar o amor que recebesse. Será que eu sou idiota ou o que? Meu amor não é recíproco, não.

Meu amor quer transbordar e inundar o mundo. Meu amor quer invadir as casas, quer chegar de voadora nos sentimentos ruins. Ele não espera ser amado, ele se joga. Meu amor quer amar até doer. Esse safado sabe que é infinito. Você acha que ele fica satisfeito quando eu dou um sorriso pra alguém na rua? aaah, meu amor é tão forte que ele me pede pra abraçar todo mundo. Tão inocente, amor.

É ele que me faz acreditar em todo mundo que conheço, é ele que me faz pensar que em cada coração tem um pouquinho dele. É ele que me faz chorar feito criança quando vejo algo triste, ou muito lindo.

Ele é inconsequente, me faz acreditar em coisas impossíveis, ter esperanças absurdas e assim, fico como idiota: “você não vive na realidade”, me disseram hoje mesmo. A real é que não quero viver na realidade… Ter que medir sentimentos bons, ter que medir carinhos, para não afastar pessoas (vagas) que tem medo de qualquer demonstração de amor? Não mesmo!

Mas o pior é que não demonstro tal amor, as vezes por medo, ou sei lá. E longe de ser santa… mas ele queria correr pro papel, e correu.

E no final de tudo você acaba percebendo que amor não é pra fazer sentido, é pra simplesmente ser sentido, e que nem todo mundo tá preparado pra receber ou entender, nem mesma eu. É, ele sabe mesmo confundir minha cabeça e esquentar meu coração, pena mesmo é ter que o controlar.

Anúncios

Por que não???

Nem sei de onde surgiu a ideia de começar a escrever, como vou organizar isso, sobre o que quero escrever e no que isso vai dar. Sempre fui melhor nas redações do que nas outras matérias mesmo, então por que não?

Uma folha em branco, um café passando… Com o pijama mais feio e mais gostoso, me mimei burlando a dieta com panquecas, as 8:30 da noite. Friozinho que é bom de suportar e depois de um dia mais que agitado, por que não escrever? Uma mera iniciante, ainda não sei nada sobre escrever em um blog. Além disso, não leio muitos livros. Mas me diz, por que não escrever? Se ficar bom a gente posta, se não, também.

E acho que foi do mesmo jeito que decidi começar a escrever, que surgiu uma das minhas maiores paixões: viajar. Foi por isso que escolhi o nome “Wanrderlust”.

Tanta coisa por ai pra conhecer, tanta gente diferente, tantos lugares esperando para serem conhecidos, amados, fotografados e deixados com promessas vagas de que iremos voltar. Então por que não? Pronto. Foi assim que vim parar em Montreal, uma cidade super encantadora. E eu cheguei aqui uma mera iniciante. Então espero me jogar nas palavras e textos assim como me joguei nas belezas e particularidades daqui.

Eu  sou bem indecisa. Demoro horas pra escolher coisas simples… E essa minha indecisão me atrapalha bastante, mas também faz com que eu queira tudo ao mesmo tempo, tudinho mesmo. Eu até gosto dessa parte, porque acabo me tornando cada vez mais “easygoing”, tranquila, fácil. É bem fácil me agradar. Difícil é escolher uma coisa de cada vez para escrever.

Quero escrever sobre os lugares por onde já passei, sobre o quão linda é a cidade que estou morando e sobre os lugares que pretendo ir. Mas também sobre café. Sobre a dorzinha que estou sentindo na minha batata da perna, sobre a massa da panqueca que eu acabei de fazer. Quero escrever sobre psicologia e sobre os livros que já li, sobre Santos e Deus. Não pense que deixarei de escrever sobre os meus pensamentos mais profundos, minhas dúvidas, meus sentimentos mais intensos ou só sobre a saudade que tenho do meu cachorro.  Quem sabe fazer um post sobre o quanto eu amo abraços matinais.

E pra você que tá lendo meu primeiro texto, não quero dar uma de “blogueira típica” ou dona da verdade, mas eu te pergunto: por que não? Aquele hobby que você tá sempre adiando, comece agora. Lembra daqueles planos que você fez disfarçadamente e nunca teve coragem de colocar em prática? Qualquer hora, é hora. Por que não se desafiar um pouquinho?  Você será apenas um mero iniciante, mas pelo menos começou algo novo! A escolha é toda sua.